terça-feira, 11 de dezembro de 2012


EMANUEL O DEUS CONOSCO

"Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco" 

Mateus 1:23

Dois missionários foram presos e encarcerados na mesma cela. Estavam proibidos de falar um com o outro. Chegou o Natal. Um dos missionários, amedrontado e calado, sentou-se no chão coberto com feno. Mexendo com os pedaços de feno ao redor, ele descobriu que poderia, mesmo sem falar, comunicar-se com o companheiro de prisão. Ele escreveu a palavra "Emanuel".

Assim que seu amigo leu o que estava escrito no chão, viu-se tomado de grande alegria. Eles estavam aprisionados, mas criam que o Deus Emanuel estava com eles e, por fim, lhes daria a vitória.

O que tem sido o Natal para nós? Um dia de festa? Um dia de comidas especiais? Uma ocasião para beber até não aguentar mais? Ou uma oportunidade de dizer ao mundo que Jesus nasceu e está conosco, para nos dar vida e vida abundante? O que é mais importante: dar um presente de amigo oculto ou dizer ao presenteado que o verdadeiro Amigo, motivo do Natal, jamais estará escondido? O que é mais importante: a troca de abraços e brindes em volta de uma mesa ou uma palavra de ânimo e conforto, tal como "O aniversariante aqui comemorado ama a você e quer perdoar seus pecados e dar-lhe vida eterna? O que é mais importante: comprar roupas novas para uma celebração ou pedir ao Senhor, que nasceu, para nos dar roupas novas, alvas e puras, que nos tornem brilhantes para a glória do Seu nome?

O dia do nascimento de Cristo é, realmente, 25 de dezembro? Provavelmente não. Mas, não estamos celebrando o dia e nem os costumes mundanos. Estamos celebrando o fato do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo ter nascido. Ele nasceu! Isso é o que realmente importa! Nasceu em nossos corações e, por isso, estamos muito felizes.

Vamos encontrar, neste Natal, todas as maneiras possíveis de comunicar que o verdadeiro Natal está em ter o Senhor Jesus, o Deus Emanuel, o Deus conosco, a nosso lado... todos os dias... para sempre.
QUERIDAS CATEQUISTAS ME DIGAM  HÁ COMO NÃO AMAR ESTE DEUS MARAVILHOSO


UM DEUS QUE FAZ SEU PLANO DE AMOR.E O REALIZA POR NÓS PECADORES...

QUE SE FEZ TÃO PEQUENO, UMA CRIANÇA INSIGNIFICANTE...


UM DEUS QUE SALVA, QUE SÓ QUER O NOSSO AMOR


USOU UMA MERA MULHER QUE DISSE "SIM", SIM AO AMOR,AO ESPIRITO SANTO...

O EMANUEL O DEUS CONOSCO, CONOSCO O DEUS DE AMOR!

DEUS NO MEIO DE NÓS, UM DEUS QUE SE FEZ CARNE...


E CUMPRE A SUA PROMESSA!!!

Descrição: http://www.comunidadeboasemente.com/system/imagems/180/real/Emanuel.gif?1261133646Deus conosco, o Emanuel

A certeza de que Deus é Fiel
Em Jesus, o Pai cumpriu o compromisso que assumiu. Ele é o descendente de Davi que nasceu para a todos redimir. Jesus é a nossa Salvação, o Rei sábio que nos governa com justiça e retidão. Quem se deixa por Ele governar e faz tudo o que Ele diz, vive tranquilo e é feliz.
A nossa justiça é o Senhor! É Ele quem nos afasta do erro e nos ensina a viver no Amor. Cristo nos retira do pecado e nos reconduz ao Seu lado, para que na Casa do Pai sejamos glorificados.
Unidos a Cristo somos, com certeza, descendentes da Sua realeza, governados por Ele com justiça e equidade, revestidos da Sua santidade.
Recorramos ao Senhor, reconhecendo a nossa pobreza e indigência, com humildade, e Ele nos socorrerá com a Sua bondade. Invoquemos ao Senhor, pois, maravilhas Ele sempre vai realizar na vida de quem O buscar.
Deixemos o Senhor governar todo nosso viver, para que a justiça e a paz possam na nossa vida florescer. Permitamos que Jesus nos ensine a amar e, pelo Espírito Santo, a vontade do Pai em nós encarnar.
É por meio do Espírito Santo e da Sua ação que habitará em nós a Salvação. O Espírito gera em nós o Emanuel, o Deus conosco, o Deus fiel. Contemplando o ventre imaculado de Nossa Senhora no mistério da encarnação do Verbo de Deus, aceitemos que o nosso coração também seja pelo Espírito Santo fecundado, para que pelo Senhor ele seja habitado e por Ele governado. Como Maria, acolhamos o Deus que salva no nosso coração e também nos tornaremos canais da Salvação.
Seguindo o exemplo de Maria e José, façamos tudo o que Deus quer! Sempre que realizarmos o que o Pai nos ordenar, tudo mais Ele o fará. Naquele que ao Pai obedece a Salvação acontece e ao mundo ele a oferece. Portanto, não tenhamos medo de aceitar os planos de Deus, pois, Ele é fiel e cuida com amor dos que são Seus.

(cf. Jeremias 23,5-8; Salmo 71,1-2.12-13.18-19; Mateus 1,18-24) Deus conosco, o 


quarta-feira, 5 de dezembro de 2012


Há sinais, eu posso vê-los

Dizem que a humanidade criou a ideia de que existia um deus porque a vida no seu ciclo de nascimento, procriação e morte trazia um vazio existencial desesperador. Daí então a necessidade de se declarar a existência de um Ser Supremo que nos proporcionaria uma extensão maior da vida com perspectivas de eternidade e não mais morte.

Vieram então conceitos sobre este deus, de como Ele seria. A visão humana e unilateral para a concepção desse deus,o colocaram em um patamar alto, bastante distante de toda e qualquer relação humana com este. Este Ser divino era uma espécie de supremo Rei, muito semelhante aos tiranos da terra. Todos deveriam alinhar-se aos seus preceitos durante a passagem pela mundo, para que assim tivessem o direito de habitar com Ele na eternidade.

Não demorou muito para que estes deuses criados fossem questionados a medida que as culturas se iam elevando em intelecto e razão. 
Se havia um deus, passou-se a pensar, que se apresente, cansamos de especulá-lo.
E o Deus verdadeiro mostrou-se - embora não dando brechas para que fosse compreendido inteiramente pela razão humana - as Escrituras Sagradas e a sua encarnação em Jesus Cristo revelaram-no a nós. 
Completamente diferente do que a mente humana tentou fabricar. Deus é um mistério revelado e a se revelar. É tão simples que confunde a todos em profundidade. É tudo que jamais foi visto, e ao mesmo tempo, tudo que comummente pode ser encontrado naquilo que vemos todos os dias (Jesus comparou suas ações com vento, água, pão).
Crer em Deus também é algo misterioso. A primeira coisa para tal é desistir das próprias formulações do que imaginamos que Ele seja, e aceitar passivamente a sua auto revelação, nas Escrituras Sagradas e na pessoa de Jesus Cristo.
Mas nossa mente trabalha de maneira incorrigível, e desejamos estabelecer uma relação com Deus da maneira pela qual aprendemos a nos relacionar com o mundo, pela experimentação sensitiva e direta. Queremos ver, tocar, ouvir.
E num convite desafiador ao nosso entendimento as Escrituras dizem "Provai e vede" (Sl 34.8). E respondemos na nossa fragilidade "Provar e ver o quê?", não se prova o que não se vê.
O desafio é o de nos achegarmos a Deus confiantemente, acreditando que Ele existe. Por tanto, o que nos foi revelado não basta, queremos mais. Mas se o tivéssemos agora da maneira que desejamos, terminaríamos por estragar o propósito de entrega confiante que está sendo construído em nós através dessa momentânea e aparentemente distante relação.
Há sinais, eu posso vê-los e não tenho como negá-los. Deus mostra-se presente através deles. Porém, a nossa fé é muito oscilante. Cremos muito, num instante não cremos tanto, só não deixamos de crer porque somos resgatados a toda hora por uma manifestação que nos arrebata os sentidos. Parece-me que Deus deseja que seja assim. Jesus manifestou a plenitude do Pai, e ainda assim foi rejeitado. Não podemos garantir que a plenitude de Deus manifestada a nós nos daria a confiança necessária que precisamos ter nele. Por isso, acreditamos nos sinais, alguns tão simples, outros tão grandes. Feitos para todos nós ou para especificamente um de nós em dado momento.
Há sinais, eu posso vê-los, portanto, há um Deus eu posso senti-lo.

"Eu sei em Quem pus a minha confiança" (S. Paulo)


Olhando para trás revemos muitos momentos. Uns positivos outros menos positivos.
Os obstáculos fazem parte do caminho de cada um, mas com fé conseguimos ultrapassá-los.  
Mais um ano passou e chegou a altura de fazermos (nós catequistas) uma avaliação daquilo que foi feito e daquilo que poderia ter sido feito e não foi...
As dificuldades, os desânimos e frustrações provavelmente estiveram presentes, mas também as alegrias e a esperança de um futuro melhor.
O que podemos fazer que ainda não foi feito? O que podemos melhorar dentro daquilo que foi feito?
O cristão é isso... um ser que está sempre a caminho!

Rezar o Terço

.

MENSAGEM DA MÃE DE

JESUS EM MEDIUGÓRIE

Hoje, convido-os de novo a colocarem a oração em primeiro lugar em suas famílias.

Filhinhos, se Deus estiver em primeiro lugar, então, em tudo que fizerem, procurarão a vontade de Deus. Desta forma, a sua conversão cotidiana será mais fácil. Filhinhos, com humildade, procurem o que não está em ordem em seus corações e, assim, entenderão o que se precisa fazer. A conversão será para vocês um dever diário que realizarão com alegria.

Filhinhos, Eu estou com vocês, abençôo a todos e convido-os a tornarem-se minhas testemunhas através da oração e da conversão pessoal. (25.04.96)

As orações que compõem o Terço são as seguintes:

(01)

Credo

(06)

Pai-Nosso

(53)

Ave-Maria

(05)

Glória

(01)

Salve-Rainha

Rezem o terço todos os dias !!

Credo

Creio em Deus Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra e em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos; creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne e na vida eterna. Amém.

Pai Nosso

Pai nosso que estais nos céus, santificado seja o Vosso nome; venha a nós o Vosso reino, seja feita a Vossa vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido; e não nos deixeis cair em tentação mas livrai-nos do mal. Amém.

Ave Maria

Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco; bendita sois vós entre as mulheres, e bendito é o fruto do Vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém

Glória

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Salve Rainha

Salve Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura, esperança nossa, salve! A Vós bradamos os degredados filhos de Eva; a Vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses Vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do Vosso ventre. Ó clemente, ó piedosa, ó doce, sempre Virgem Maria. Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém.

Nossa Senhora recomenda que rezemos a seguinte Jaculatória a ser intercalada entre as dezenas do Terço: Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o Céu, e socorrei principalmente as que mais precisarem.

Para quem reza um Terço por dia, meditam-se os:

*Mistérios gozosos

(da alegria)
(Segundas e Sábados)

1º mistério: Anunciação do Anjo a N. Senhora.

2º mistério: Visita de N. Senhora a Santa Izabel.

3º mistério: Nascimento de Jesus em Belém.

4º mistério: Apresentação de Jesus no templo.

5º mistério: Perda e encontro de Jesus no templo.

*Mistérios Dolorosos

( da dor)
(Terças e sextas-feiras)

1º mistério: Agonia de Jesus no Horto das Oliveiras.

2º mistério: Flagelação de Jesus

3º mistério: Jesus coroado de espinhos.

4º mistério: Jesus carrega a cruz para o Calvário.

5º mistério: Crucificação e morte de Jesus.

*Mistério Gloriosos

( da glória)
(Quartas e domingos)

1º mistério: Ressurreição de Jesus ao céu.

2º mistério: Ascensão de Jesus ao céu.

3º mistério: Vinda do Espírito Santo.

4º mistério: Assunção de Nossa Senhora.

5º mistério: Coroação de N. Senhora no céu.

Mistério da Luz

( da glória)
(Reza-se às Quintas-feiras))

1º mistério: Batismo de Jesus Cristo no Jordão

2º mistério: Bodas de Caná

3º mistério: Proclamação do Reino

4º mistério: Transfiguração

5º mistério: Instituição da Eucaristia

Antes de iniciar a rezar

Sinal da Cruz

Pelo Sinal da Santa Cruz (+) Livrai-nos, Deus nosso Senhor (+) dos nossos inimigos (+) Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, Amém.

Oferecimento: Divino Jesus, nós vos oferecemos este terço que vamos rezar, contemplando os mistérios de vossa Redenção. Concedei-nos, pela intercessão de Maria Santíssima, a quem nos dirigimos, as virtudes necessárias para bem rezá-lo e a graça de ganhar as indugências anexas a esta devoção.

Oferecimento a Nossa Senhora

Debaixo de vossa proteção nos refugiamos, ó Santa mãe de Deus. Não desprezeis nossas súplicas em nossas necessidades, mais livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita.

Senhora nossa, Advogada nossa , Medianeira nossa !Com vosso Filho nos reconciliai, ao vosso filho nos recomendai, ao vosso Filho nos apresentai ! Amém.

Após o oferecimento reza-se esta seqüência de orações, acompanhando com as contas do Terço:

Creio em Deus Pai…
Pai-Nosso…
Ave-maria(03)
Glória…
No 1º mistério contemplamos…

Pai-Nosso…

Ave-Maria(10)
Glória(01)
Ó meu Jesus, perdoai-nos…
No 2º mistério contemplamos…
Pai-Nosso…

Ave-Maria(10)
Glória(01)
Ó meu Jesus, perdoai-nos…
No 3º mistério contemplamos…
Pai-Nosso…

Ave-Maria(10)

Glória(01)

Ó meu Jesus, perdoai-nos…
No 4º mistério contemplamos…
Pai-Nosso…

Ave-Maria(10)
Glória(01)
Ó meu Jesus, perdoai-nos…
No 5º mistério contemplamos…
Pai-Nosso…

Ave-Maria(10)


No final do Terço

Agradecimento: Infinitas graças Vos damos, Soberana Rainha, pelos benefícios que todos os dias recebemos de vossas mãos liberais. Dignai-vos, agora e sempre, tomar-nos debaixo de vosso poderoso amparo, e para mais Vos obrigar, Vos saudamos com uma Salve-Rainha.

V. Rogai por nós Santa Mãe de Deus,

R. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém


Viver pra mim é Cristo

Pe. Fábio de Melo

Senhor, preciso Te dizer que é impossível me esquecer
Que não estou só nesta batalha entre o bem e o mal
A cada nova experiência, eu Te glorifico mais
Te ter é a maior diferença em mim

Se os bons combates eu não combater
Minha coroa não conquistarei
Se minha carreira eu não completar
De que vale a minha fé tanto guardar

Se perseguido aqui eu não for
Sinceramente um cristão não sou
A Tua glória quero conhecer
Ver a experiência de sobreviver...

Viver pra mim é Cristo, morrer pra mim é ganho
Não há outra questão, quando se é cristão
Não se para de lutar

Triunfarei sobre o mal, conquistarei troféus
Não há outra questão, quando se é cristão
Não se para de lutar... até chegar ao céu

Se calarem o som da minha voz
Em silêncio estarei a orar
Se numa prisão me colocar
Eu vou Te adorar

Se minha família me trair
Eu vou sonhar com Deus
Viver seus planos isso é parte
De uma carreira de cristãos



O que você quer ser?
Objetivo:
Perceber o chamado à realização que Deus nos faz.

Para início de conversa:
Vamos ver a lista que vocês trouxeram das profissões mais populares. Por que vocês acham que as pessoas escolhem estas profissões?

Reflexão:
1)      Vocação e profissão:
Muitas vezes se confunde profissão com vocação. Dizemos, por exemplo: “Fulano tem vocação para ser médico”. Isto pode até ser possível, desde que ele se dedique integralmente a curar seus semelhantes, sem se preocupar com dinheiro, reconhecimento e carreira. Do contrário, trata-se de uma profissão, não de uma vocação. Ou seja, a pessoa está usando uma habilidade, um dom dado por Deus para se realizar na vida.
A vocação é um chamado para “ser”. Vive-se uma vocação 24 horas por dia, todos os dias. Quem vive sua vocação, vive para servir e para o Reino de Deus. Jamais pode deixar de segui-la, pois quem não segue sua vocação se torna infeliz.
A profissão é um chamado para “fazer”. É uma ocupação que visa a autorrealização e o sustento próprio. A pessoa pode mudar de profissão se quiser, e até perceber que se sente mais feliz em outro trabalho. É exercida durante determinado número de horas e pode deixar de ser exercida quando a pessoa se aposenta.
É importante perceber, porém, que o chamado para esta ou aquela vocação depende exclusivamente da vontade de Deus. A chave da felicidade é seguir o chamado de Deus, seja ele qual for. Diz o ditado que “Deus dá o frio conforme o cobertor”. E é verdade. Deus, que nos criou, nos conhece o suficiente para saber qual caminho nos fará felizes.

2)      Vocação e felicidade:
Cada ser humano traz consigo o sonho da felicidade. Não existe outra alternativa: viver é querer ser feliz. Os dias passam, os meses também, somam-se os anos, mas permanece conosco aquela inquietude, aquele desejo profundo... Sonhamos com a realização, com a felicidade.
            Deus quer a nossa felicidade. Foi por isso que ele nos colocou no mundo. Dotou- nos de inteligência e capacidade para que pudéssemos alcançá-la. Porém não definiu um caminho único. Deu-nos muitos caminhos e nos fez livres para escolhermos. A felicidade é o encontro da vontade de Deus com nossas buscas.
            A adolescência e a juventude são tempos propícios para se amadurecer uma ideia sobre a direção que queremos dar a nossas vidas. É a época em que geralmente decidimos que faculdade fazer, que tipo de trabalho gostáramos de ter, que rumo seguiremos. Vocação e felicidade caminham juntas. Daí a importância de acertar na escolha. Vocação é caminho. É o chamado de Deus que aguarda nossa resposta. Por trás de qualquer vocação, há sempre um chamado amoroso de Deus. Ele não determina. Ele propõe.

            As vocações específicas são:
ü  Casamento: Deus chama muitos para formar uma família e dar prosseguimento à sua obra criadora. O amor une as pessoas.
ü  Sacerdotes: Deus chama para continuar a missão de Jesus: comunicar a Boa Nova dedicar-se ao próximo e à comunidade e viver a serviço de Deus.
ü  Religiosos: Deus chama para uma experiência profunda de amor e de entrega da vida a serviços dos outros.
ü  Solteiros: Deus chama para uma vida de doação à comunidade e aos irmãos.

Atividades
1)      Vamos ler juntos 1Sm 3,1-12. Após a leitura, cada um poderá dizer o que entendeu.
2)      Formar dois grupos. Um escreve o que caracteriza a vocação, o outro, a profissão. Comparar os resultados.
3)      Dar exemplos de pessoas que seguiram suas vocações ( Irmã Dulce, Papa João Paulo II, Madre Teresa de Calcutá...). Explicar porque vocês acham que eles realmente seguiram suas vocações.
Viver em Cristo,catequista sabeis o significado?

segunda-feira, 5 de novembro de 2012


O que é Escatologia?

O estudo da Escatologia individual diz respeito aos acontecimentos que afetarão cada indivíduo no fim de sua jornada terrestre. São eles: Morte, Juízo Particular, Purgatório, Inferno e Céu. E a Escatologia coletiva trata dos acontecimentos relacionado com o fim dos tempos, a saber: Parousia (2a. vinda de Cristo), Ressurreição da Carne, Juízo Final ou Universal e os "Novos Céus e Nova Terra".



A MORTE é onde se dá a separação entre o corpo e a alma. Deus não é o autor da morte. Foi o homem que, usando mal a liberdade que Deus lhe deu, pecou, e ao pecar, permitiu que a morte entrasse no mundo.


O JUÍZO PARTICULAR ocorre imediatamente após a morte, e define se a alma vai para o Céu, inferno ou purgatório. Não há uma ação violenta de Deus, mas simplesmente a alma terá nítida consciência do que foi sua vida terrestre, e assim, se sentirá irresistivelmente impelida para junto de Deus (Céu), ou para longe da presença de Deus (Inferno) ou ainda para um estágio de purificação (Purgatório).

O PURGATÓRIO é o estado em que as almas dos fiéis que morrem no amor a Deus, mas ainda com tendências pecaminosas, se libertam delas através de uma purificação do seu amor. Ou seja, são almas justificadas, mas que ainda precisam ser santificadas (clique AQUI para maiores detalhes). O Purgatório fortalecerá o amor de Deus no íntimo da pessoa, a fim de expurgar as más tendências. Todas as almas do Purgatório, posteriormente, irão para o Céu.


O INFERNO é um estado de total infelicidade. É viver eternamente sem Deus, sem amar, sem ser amado. A alma percebe que Deus é o Bem Maior, mas sua livre vontade o rejeita e sabe que estará para sempre incompatibilizada com Deus. Isso gera um imenso vazio na alma que passa a odiar a Deus e às suas criaturas. Só vai para o inferno quem faz uma recusa a Deus consciente, livre e voluntária. Mas como pode existir o inferno se Deus é bom e nos ama? Veja a resposta AQUI.


O CÉU não é um lugar acima das nuvens, mas sim, um estado de total Felicidade capaz de realizar todas as aspirações do ser humano. No Céu participamos da Vida de Deus. E quanto maior for o amor que a pessoa desenvolveu neste mundo, mais penetrante será a participação na Vida de Deus. Assim, no Céu todos são felizes, mas em graus variados, pois cada um é correspondido na medida exata do seu amor. Deus é Amor, amor que se dá a conhecer a quem ama. Não há monotonia no Céu, mas sim, uma intensa atividade de Conhecer e Amar.


Vale aqui o registro de que o Limbo seria o "local" eterno onde ficariam as crianças que morrem sem o Batismo. Não teriam a visão sobrenatural de Deus, mas uma visão natural mais perfeita do que temos. No entanto, o Limbo sempre foi uma suposição e jamais foi um artigo de fé. Ao invés disso, tais crianças são confiadas pela Igreja à misericórdia de Deus, que acreditamos ter um caminho de salvação própria a elas.
Fonte: Apostila do Mater Ecclesiae - Escatologia.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012


CATEQUESE - SACRAMENTO DA RECONCILIAÇÃO

Hoje foi dia de "Falar com Jesus", dia da Reconciliação...
Tudo correu muito bem!
Estão de parabéns os meninos e os pais que colocaram Jesus em primeira posição, logo hoje, de manhãzinha, com este dia super cinzento, chuvoso e com uma forte ventania!
Fizemos um exame de consciência...
Dividimos os meninos de catequese em dois grupos, do 1º ao 5º ano - um grupo, e do 6º ao 10º - outro grupo!
Estavam três padres na paróquia!
As crianças e adolescentes fizeram um coração castanho, que representava o coração sujo a precisar de ser limpo e depois de o entregarem ao senhor Padre, trouxeram um transparente, límpido e bonito, como nunca!
Cantamos, rezamos e dançamos... e foi assim a nossa quase manhã toda!
Foi muito bom!
Aqui fica a apresentação ppt que nos ajudou a reflectir...
































Limpa antes o interior do copo
C 10 - Sacramento da Reconciliação.inddA confissão dos pecados, mesmo de um ponto de vista simplesmente humano, liberta-nos e facilita nossa reconciliação com os outros. Pela confissão, o homem encara de frente os pecados de que se tornou culpado; assume a sua responsabilidade e, desse modo, abre-se de novo a Deus e à comunhão da Igreja, para tornar possível um futuro diferente.
A confissão ao sacerdote constitui uma parte essencial do sacramento da Penitência: [...] «Quando os cristãos se esforçam para confessar todos os pecados de que se lembram, não se pode duvidar de que os apresentam todos ao perdão da misericórdia divina. Os que procedem de modo diverso, e conscientemente ocultam alguns, esses não apresentam à bondade divina nada que ela possa perdoar por intermédio do sacerdote. Porque, ‘se o doente tem vergonha de descobrir a sua ferida ao médico, a medicina não pode curar o que ignora’» (Concílio de Trento; S. Jerónimo).
Segundo o mandamento da Igreja, «todo o fiel que tenha atingido a idade da discrição, está obrigado a confessar fielmente os pecados graves, ao menos uma vez ao ano». [...] Sem ser estritamente necessária, a confissão das faltas quotidianas (pecados veniais) é contudo vivamente recomendada pela Igreja. Com efeito, a confissão regular dos nossos pecados veniais ajuda-nos a formar a nossa consciência, a lutar contra as más inclinações, a deixarmo-nos curar por Cristo, a progredir na vida do Espírito. Recebendo com maior frequência, neste sacramento, o dom da misericórdia do Pai, somos levados a ser misericordiosos como Ele (Lc 6,36): «[...] Quando começas a detestar o que fizeste, é então que começam as tuas boas obras, porque acusas as tuas obras más. O princípio das obras boas é a confissão das más. Praticaste a verdade e vens à 1uz» (St. Agostinho; Jo 12,13).
Dái-nos, Senhor, a graça de Amar e buscar sempre mais conhecer a beleza do Sacramento da Reconciliação em nossa vida cristã e em nossa comunidade! Assim seja !